A economia brasileira tem se recuperado recentemente. O PIB já dá sinais de aumento e a recessão virou passado. Com isso, têm surgido negócios e oportunidades que podem ser gatilhos para o sucesso de quem deseja largar na frente.

Em épocas pós-crise, é comum que se despontem aqueles que se adiantam à recuperação econômica e se preparam com antecedência. Para compreender melhor como funciona essa lógica, é preciso entender como a crise afeta os negócios.

Quando a economia passa por dificuldades, basicamente todos os negócios são afetados pela redução das vendas gerais do mercado. Com isso, o faturamento de grande parte das empresas diminui e, algumas delas, se veem obrigadas a fechar suas portas.

No entanto, as empresas que conseguem se adaptar, reduzir custos e adequar suas margens poderão sair mais fortalecidas da crise, a partir de uma estrutura mais enxuta e menos concorrentes. Não é por acaso que costuma-se dizer que em toda crise existem oportunidades.

Felippe Ferreira, sócio e fundador do Meu BiZ, especialista em venda de empresas, explica que o momento atual da economia brasileira pode ser muito propício para abrir ou comprar um negócio. “Esse é o momento em que o preço dos negócios está mais baixo e há uma grande quantidade e variedade de pontos comerciais para alugar por ótimos valores”, comenta.

O especialista afirma que quando o proprietário coloca seu ponto comercial para alugar, significa que o mesmo está ou estará desocupado, provavelmente após a saída de uma empresa que faliu. Nesse sentido, com a baixa demanda, os proprietários dos imóveis tendem a abaixar seus preços e oferecer melhores condições para que um novo inquilino possa instalar seu negócio.

Por isso, para aproveitar as oportunidades pós-crise, o primeiro passo é estar alerta às oportunidades de ponto comercial. Ao se deslocar pela cidade, é recomendável buscar placas de “passo o ponto” e “aluga-se”. Ali podem estar escondidas excelentes chances para quem busca se antecipar à recuperação total da economia.

 

Quer ler mais sobre o assunto? Veja aqui como organizar melhor as suas finanças pessoais em tempos de crise:
12