Trabalhar de casa costuma ser uma opção vantajosa para pais profissionais que, no Brasil, têm apenas cinco dias de licença paternidade – em sua maioria – e buscam uma boa alternativa para ficar mais tempo com a família, sendo uma delas iniciar uma atividade como freelancer. De acordo com a Workana, plataforma de trabalho freelance com atuação em toda a América Latina, a atividade cresceu mais de 181% em 2016 e 47% dos freelancers cadastrados no Brasil têm filhos.

Um deles é Raul Galvão, publicitário que atua como freelance há dois anos. Ele conta que a atividade é uma boa aliada, já que comemora em 2017 seu primeiro Dia dos Pais. “Meu filho nasceu há três meses e, com o dia a dia corrido do trabalho, ser freelancer me ajuda ter flexibilidade de horários. Assim, consigo trabalhar e ter mais tempo com a minha família”, conta Raul.

Segundo o levantamento realizado pela Workana, 34% dos pais contam com ajuda externa para cuidar dos filhos. Guillermo Bracciaforte, cofundador da Workana, aponta que o perfil dos pais vem mudando e refletindo essa transformação no mercado de trabalho. “Cada vez mais temos pais que sentem a necessidade de cuidar dos filhos e dividir igualmente as tarefas com a mulher. Isso se alia à busca dos profissionais pela harmonia entre vida profissional e pessoal e tem um efeito muito positivo, já que um pai que participa mais em casa proporciona mais liberdade para que a mãe também siga com sua carreira profissional”, explica Bracciaforte.

O cofundador da plataforma aponta que essa busca por um trabalho mais flexível colabora para o crescimento da atividade freelance e proporciona aos profissionais novas oportunidades. Dentre os usuários da Workana, cerca de 60% trabalham como freelancer em tempo integral, sem conciliar com outro emprego.

 

E, se você gostou deste assunto, é possível que queira ler este aqui também, veja:

28