Certamente você já deve ter refletido sobre essa pergunta. Principalmente nos anos de faculdade, quando nos perguntamos qual a aplicação de tudo que aprendemos nas aulas e nos livros acadêmicos. Talvez o grande desafio de todos os profissionais seja justamente a aplicação prática da teoria que estudam ao longo de sua vida laboral. Quando falamos de planejamento financeiro pessoal e familiar não é diferente.

Vou te ajudar a encontrar a resposta!

Você já deve ter lido pelo menos um bom livro de finanças pessoais e/ou comparecido a uma ótima palestra deste tema. Mas… e quanto a aplicação prática do que leu/assistiu? Aposto que agora você já tem a ideia exata de qual é a distância do que também podemos chamar de “mundo ideal x contexto real”. Assim como o médico que estuda e debate diversos casos clínicos da sua especialidade, o advogado que já atuou em diversos casos, o time de PlanejadoresLifeFP™ se reune em um fórum semanal para trocar experiências práticas de vivências que cada um tem junto aos seus clientes, permitindo assim um ganho de experiência como um time. Por isso, resolvemos compartilhar tópicos relevantes acerca do planejamento vida e finanças, trazendo um contexto prático do tema.

Qual a melhor opção na hora de comprar um imóvel para morar: Dar uma entrada e financiar o restante ou morar de aluguel e investir para comprar a vista?

Esta foi a primeira pergunta de, João, médico (31) e Maria, advogada (27), ao se reunirem pela primeira vez com um Planejador Financeiro Pessoal por indicação de um casal de amigos que já eram clientes. Em um primeiro momento, ficaram intrigados quando ouviram o Planejador dizer  alugar, investir e comprar o imóvel a vista seria a melhor quando, ele havia ajudado o seu casal de amigos a financiar o seu apartamento. Entretanto, o Planejador se comprometeu em ajuda-los de forma que eles entendessem que esta decisão demanda um pouco mais de tempo e responsabilidade do que eles imaginam e que não existe uma resposta padrão para todas as pessoas. Durante duas horas de bate papo, puderam compartilhar outros projetos de vida, como por exemplo: aposentadoria, ter filhos mas viajar bastante antes e ainda construir uma clínica para João que sempre teve este sonho desde quando  entrou da faculdade. Ao fim, puderam perceber que tomar uma decisão somente pensando na matemática poderia leva-los a ter que adiar ou simplesmente deixar de lado alguns de seus outros sonhos mais relevantes. Cientes de que precisariam se conhecer melhor do ponto de vista financeiro e de vida, toparam iniciar o trabalho de planejamento. Saíram do escritório extremamente entusiasmados com a ideia de se ocuparem com o seu planejamento de vida e utilizar o planejamento financeiro como caminho para realizar seus sonhos.

Durante seis meses o casal se reuniu mensalmente com o seu Planejador, estruturando o planejamento para que então pudesse chegar a um veredicto final na decisão sobre o imóvel. Nessa caminhada, aprenderam algumas lições importantes:

  1. O primeiro passo para qualquer decisão é conhecer as suas próprias finanças de maneira estruturada em um orçamento que mostre não só o quanto gastam, mas o como gastam.
  2. Ganhar mais nem sempre é a solução, esse foi um destaque de João que no começo imaginava que alguns plantões resolveriam esta questão, mas depois percebeu que é como na medicina, nem sempre o aumento da dose do remédio é benéfico para o paciente.
  3. Expectativas x Escolhas: João e Maria tinham diversos sonhos, mas nunca tinham parado para enxergá-los com clareza de forma que os mostrassem o que deveria acontecer para que pudessem alcança-los. Ainda mais, perceberam que independente do quanto ganhassem, precisariam fazer escolhas e estabelecer prioridades em seus projetos, visto que não havia possibilidade de realiza-los ao mesmo tempo. Foi neste ponto que destacaram o quanto foi importante interagirem com o Livro dos Sonhos, que segundo eles foi uma nova descoberta acerca da própria vida e os ajudou a tomar a decisão correta.

Com a primeira parte do planejamento construído, o jovem casal teve uma clareza maior acerca de sua vida e de seu futuro e então finalmente tomaram a decisão. João e Maria decidiram morar aluguel. Não foi uma decisão fácil, mas perceberam que naquele momento, o que se fazia mais presente na vida deles é o desejo de viajar e aproveitar antes de terem o bebê e também construir a clinica, tudo isso sem abrir mão do projeto da aposentadoria, que segundo eles foram abençoados por entender a importância do tempo como fator decisivo o sucesso da  segunda fase da vida. Hoje, três anos depois de inicio da caminhada ao lado de um  Planejador, o casal permanece firme e forte dentro do seu planejamento, se dizem extremamente felizes com e escolha que fizeram. Entretanto, está vindo uma nova personagem que veio para mudar essa história: Marina. Maria está grávida e por isso estão de mudança para um apartamento maior, mas ainda alugado. Segundo ela, a sensação de liberdade na decisão de se mudarem pra um apartamento maior não tem preço.

E você? Quais são os seus projetos? Como você gostaria de ser lembrado? Independente das suas respostas, o planejamento financeiro te levará ao seu objetivo.

Com carinho, Thiago Sampaio

 

Nota do Editor: Como você gerencia as suas expectativas? As suas expectativas encontram na condução de sua vida um terreno fértil para a geração de resultados incríveis e uma vida que vale a penas ser vivida (e lembrada)? Que tal conhecer um roteiro prático e funcional que lhe ajudará a construir uma relação saudável e inspirativa entre suas expectativas e seu plano de vida? Eu apresento este roteiro no manifesto que escrevi com uma visão amplificado de como seria a nossa nação com pessoais vivendo em sua melhor versão. Clique aqui para ler o manifesto e conhecer uma maneira eficiente de gerenciar as suas expectativas.