Se você costuma usar bastante os serviços de aplicativos de transporte, tais como Uber, Cabify, 99 Táxi, e etc. , é preciso ficar de olho nos gastos. Muitas vezes, pelo fato de serem mais econômicos do que um táxi tradicional, a tendência é não pensar muito na hora de chamá-los. Basta pegar o celular, mexer em algumas teclas, e esperar pelo carro. O problema é que a conta total chega depois, na fatura do cartão, e pode ser bem maior do que se esperava, comprometendo o orçamento.

Para não gastar demais com esses aplicativos, o que pode atrapalhar seus planos, vale a pena colocá-los na planilha de gastos e ir controlando o quanto tem sido investido neles. Também vale a pena seguir algumas dicas. São elas:

  • Comparar os preços dos aplicativos antes de chamar, pois pode haver grandes diferenças e promoções específicas para determinada data.
  • Se estiver com pressa e for horário de pico, um táxi comum pode ganhar vantagem em uma cidade como São Paulo, já que ele pode usar os corredores de ônibus.
  • Se estiver sem pressa, um serviço compartilhado (o chamado “pool”) pode significar um preço menor, mas tenha em mente que o trajeto certamente demorará mais.

 

Leia também:
29